Programa Nacional de Melhoria da Qualidade e do Acesso da Atenção Básica: avaliando o processo de trabalho das equipes do Espírito Santo
PDF

Palavras-chave

Planejamento em Saúde
Autoavaliação
Pesquisa sobre Serviços de Saúde
Estratégia Saúde da Família
Atenção Primária à Saúde

Como Citar

Almeida da Silva Rocha, P., Marabotti Costa Leite, F., Ferreira de Almeida Barbosa, B., & de Cássia Duarte Lima, R. (2019). Programa Nacional de Melhoria da Qualidade e do Acesso da Atenção Básica: avaliando o processo de trabalho das equipes do Espírito Santo. APS EM REVISTA, 1(2), 141-151. https://doi.org/10.14295/aps.v1i2.33

Resumo

Pergunta: Esse trabalho tem por objetivo avaliar o processo de trabalho das equipes de Atenção Básica participantes do primeiro ciclo do PMAQ-AB no Espírito Santo.   Método: Trata-se de estudo descritivo de abordagem quantitativa, que utilizou dados secundários da avaliação externa do PMAQ-AB, no ano de 2012, referente a 321 equipes do ES. Os dados foram analisados por meio de estatística descrita e intervalo de confiança de 95%.   Resultados: Das equipes avaliadas, 87,9% realizaram o planejamento das ações; 80,5% relatam receber apoio para o planejamento e organização do processo de trabalho; 96,9% realizam reunião de equipe; e 75,1% receberam o apoio matricial.   Conclusões: Ainda que algumas dimensões tenham apresentado baixos percentuais, observa-se que as equipes do Espírito Santo têm planejado e organizado o processo de trabalho com a realização da autoavaliação para esse fim, recebido apoio institucional, realizado reuniões de equipe e recebido apoio matricial.
https://doi.org/10.14295/aps.v1i2.33
PDF

Referências

(1) Ministério da Saúde (Brasil). Política Nacional de Atenção Básica (PNAB). Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

(2) Sarti, TD et al. Avaliação das ações de planejamento em saúde empreendidas por equipes de saúde da família. Cad. Saúde Pública. 2012. n. 28, v. 3, p.537-548.

(3) Fausto, MCR et al. Experiências e aprendizagem no processo da avaliação externa: encontro com a diversidade. In: Fausto MCR, Fonseca HMS. (org.) Rotas da atenção básica no Brasil: experiências do trabalho de campo PMAQ AB. Rio de Janeiro: Saberes Editora, 2013.

(4) Ministério da Saúde (Brasil). Avaliação para melhoria da qualificação da Estratégia Saúde da Família: resumo executivo. Brasília: Ministério da Saúde; 2005.

(5) Cruz, MM et al. Usos do planejamento e autoavaliação nos processos de trabalho das equipes de saúde da família na atenção básica. Saúde Debate. 2014, n. 38, v. esp., p.124-139.

(6) Garcia, ACP et al. Análise da organização da Atenção Básica no Espírito Santo: (des)velando cenários. Saúde Debate. 2014, n. 38, v. esp., p.221-236.

(7) Sossai, TA et al. Evidências sobre o Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica. Rev. Bras. Pesq. Saúde. 2016, n. 18, v. 1, p.111-119.

(8) Albuquerque, MV; Mello, GA; Iozzi, FL. O processo de regionalização em saúde nos estados brasileiros. In: Viana ALD e Lima LD. (Org). Regionalização e relações federativas na política de saúde do Brasil. Rio de Janeiro: Contra Capa; 2011. p.117 -172.

(9) Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ): manual instrutivo para as equipes de Atenção Básica e NASF. Brasília: Ministério da Saúde, 2015.

(10) Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Dicionário das Variáveis 1º Ciclo: Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ). Brasília: Ministério da Saúde, 2013.

(11) Medrado, JRS; Casanova, AO; Oliveira CCM. Estudo avaliativo do processo de trabalho das Equipes de Atenção Básica a partir do PMAQ-AB. Saúde Debate. 2015, n. 39, v. 107, p.1033-1043.

(12) Carvalho, M et al. Utilização de monitoramento e análise de indicadores na Atenção Primária à Saúde. SANARE. 2017, n. 16, v. 1, p.67-73.

(13) Sampaio, J et al. PMAQ-AB: a experiência local para a qualificação do programa nacional. Rev enferm UFPE [on line]. 2016, n. 10, v. 5, p.4318-28.

(14) Santos, AF et al. Apoio institucional e matricial e sua relação com o cuidado na atenção básica à saúde. Rev Saúde Pública. 2015. p.49-54.

(15) Neves, TCCL; Montenegro, LAA; Bittecourt, SDA. Produção e registro de informações em saúde no Brasil: panorama descritivo através do PMAQ-AB. Saúde Debate. 2014, n. 38, v. 103, p756-770.

(16) Fausto, MCR. A posição da Estratégia Saúde da Família na rede de atenção à saúde na perspectivadas equipes e usuários participantes do PMAQ-AB. Saúde Debate. 2014, n. 38, v. esp., p.13-33.

(17) Chaves, LA et al. Integração da atenção básica à rede assistencial: análise de componentes da avaliação externa do PMAQ-AB. Cad. Saúde Pública. 2018, n. 34, v. 2, p.1-16.

(18) Santos, RABG; Figueiredo, RLU; Lima, LC. Apoio matricial e ações na atenção primária: experiência de profissionais de ESF e Nasf. Saúde em Debate. 2017, n. 41 v. 114, p.694-706.

(19) Souza, TT; Calvo, MCM. Avaliabilidade dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família com foco na integração às equipes apoiadas. Rev Saúde Pública. 2018. p.52-41.
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Downloads

Não há dados estatísticos.